Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Da parte calma da manhã

17796216_1466657430043161_2185621365241220589_n.jp

(Trofa, 03/04/2017 - 07:45)

 

Acho que já disse isto aqui... mas é que há realmente algo de mágico nas primeiras horas do dia... Um despertar que nos clarifica o espírito e nos dá aquela sensação de que tudo será possível hoje, pelo menos hoje, não é?

 

O ar fresco da manhã. A luminosidade ainda pálida. O movimento calmo que antecede a euforia. Parecem conspirar para que se torne possível a realização do que queremos ser...

 

...

 

É com este pensamento que chego ao Porto, e a confusão do trânsito na VCI arrasta-me para uma realidade mais concreta. É tempo de me escudar e deixar a magia dentro.

 

Vamos lá! Boooora!!!!!!

 

 

 

Hoje fui...

17757312_1465922686783302_8443901967852050485_n.jp

 

 

Hoje foi dia de correr no parque sozinha na torrente de gente que os primeiros domingos solarengos trazem à rua...

 

Foi dia de me livrar das ansiedades típicas de final de período letivo, de correr muito com elas, até as deixar para trás e ofegante, não sentir perda nenhuma.

 

 

 

(Guimarães, 02/04/2017 - 18:15)

 

Foi dia de respirar profundamente e de me convencer que o horário da manhã daquelas aulas de yoga cabe perfeitamente no meu, em alguns dias. De me comprometer com a inscrição que farei na próxima semana. 

  

E no meio da corrida, ou, para ser mais verdadeira, no meio da passada acelerada, porque estava demasiado cansada para correr o caminho todo... Demasiado enebriada pelo sol, pela música que levava nos ouvidos, e pela sensação de liberdade, lembrei-me que sou mulher para além de mãe e filha e professora e amiga e ... todos os papéis possíveis que possa desempenhar ainda... 

 

Lembrei-me que às vezes me esqueço disso e que sou mais mãe, ou mais filha, ou mais professora, antes de ser mulher. Porquê? Acho que os acontecimentos do meu passado recente me levaram, de certa forma, a desligar-me da minha esssência e forçaram-me a existir apenas no prolongamento das relações que tenho com os outros... E hoje admiti-o perante mim. O que é um grande feito! porque dei o primeiro passo, não para voltar à mulher que fui, mas para deixar crescer a mulher que sou e que ainda quero ser. Por mim. porque por muito amor que tenha pelos outros, as nossas relações só serão mais fortes, mais ricas e efémeras se eu existir fora delas também.

 

Por isso hoje fui... fui correr... fui pensar... fui sentir... e fui ser mulher!

 

 

 

 

E se...?

  O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.

(FP)

 

 

   E deve ser por isso que os insetos se sentem irremediavelmente atraídos para uma luz que os queima, incendeia e consome... E deve ser neste momento que a intensidade supera a duração das suas vidas.

 

  Sempre acreditei que seria mais pirilampo do que inseto atraído pela luz. Que seria mais a estrela com luz própria e menos o planeta que orbita em seu redor...mas...

what if? 

 

E se, por um momento eu quisesse prescindir da luz, e procurar outra mais forte? Ainda que queime, incendeie e me consuma?

 

E se?