Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Uma aventura na estrada...

(imagem de: www.pricelesspixs.net/Crown%20King.htm)
Às vezes, acontecem-nos coisas curiosas que nos fazem sair do torpor do corre-corre dos dias sempre idênticos...

Numa dessas vezes, numa noite desta semana, estava eu a regressar a casa, por volta das dez da noite, quando me aparece uma pessoa no meio da estrada a acenar para que parasse.

.

O meu cérebro demorou algumas fracções de segundo a processar o que se estava a passar... OK, o carro encostado na berma da estrada, com o capot aberto (nunca entendi bem esta palavra - capot! Mas falo disso noutra altura) e o triângulo aberto atrás do carro, ajudaram-me a perceber que se tratava de uma avaria.

.

- Precisam de ajuda... - pensei para mim - tenho de encostar e ver se posso ser útil...

- Fogo, mas esta estrada é escura... será que é um daqueles assaltos ? Nã... vou ver o que se passa... Parece-me que é só um casal de idosos... - e foi com este pensamento que encostei na berma e decidi averiguar a causa da preocupação dos senhores...

.

E, era. Era só um casal de idosos simpáticos e preocupados pois tinham de ir buscar a filha à estação de Braga e ainda estavam muito longe e com um pneu furado. O senhor, tinha sido submetido a uma cirurgia ao coração na semana anterior e não conseguia concluir a tarefa de mudança de pneu que já havia iniciado. E a senhora, coitadinha, preocupada, quer com o estado do carro, quer com a condição do marido, quer com a filha que já estava ao telemóvel a saber o motivo do atraso...

.

Pois bem. Se precisavam da minha ajuda, iriam tê-la! E pronto! Lá retirei o casaco, arregacei as mangas da camisa e preparei-me para começar a apontar o pneu de substituição aos buracos onde iriam apertar os parafusos... Tenho um bocado a mania que sou racer e até me gabo de perceber um bocado de mecânica, por isso lá me preparei a chave e comecei a mostrar o que sabia.. Pensando de mim para mim - isto vai ser canja! e respondendo à conversa de ocasião do casal - Pois, temos de ser uns para os outros... Um dia, quem sabe não são os senhores que me socorrem na estrada?

.

Neste ponto do relato, é importante referir que estava escuro, muito escuro mesmo, que o carro era velhote e o pneu devia pesar uns 50 quilos e que o chão estava encharcado, assim como as minhas calças e os meus sapatinhos de donzela... As mãos, completamente sujas de óleo, já nem conseguiam levantar o pneu à altura de encaixar os parafusos... E neste momento, tomei consciência - Dani, isto é demais para ti. Tens de pedir ajuda!

.

E lá fui eu para a berma da estrada fazer sinal aos carros para que parassem. Não tardou muito. Não parou o primeiro, parou o segundo! E a senhora do casal, lembro-me que referiu - Que sorte! Connosco demorou muito mais tempo até conseguirmos que a menina parásse. E eu lembro-me de ter pensado: Pois, nestas coisas de fazer sinal de paragem aos carros na beira da estrada, a idade, ironicamente, também deve pesar... Deixe-me chegar à sua que quero ver se eles param!

.

Parou. Era o que importava. Um carro todo tunning com dois jovens de boné na frente e uma criança de aproximadamente nove anos no banco de trás. O condutor abriu o vidro e quando lhes estou a explicar a situação do casal e a minha tentativa frustada de mudar o maldito pneu, reparo que um dos jovens vinha a fumar um charro... Pensei - Estou feita, vão-me mandar dar uma curva! Mas não... Lá vieram. O que estava a fumar, pediu ao garoto que lhe segurasse no 'charuto', mas reparei que o miúdo não fumou, pelo menos ali. Entre uma porca e outra, já estava quase o pneu mudado, bem como o 'charuto' fumado.

.

E pronto. Lá seguiu o casal, com o problema reslovido. Lá seguiram os moços do tunnig com o charuto fumado. E lá segui eu, de consciência tranquila...

.

.

Ao final da noite, o namorado tinha ficado de passar lá em casa. Vinha muito compenetrado a tentar arranjar o GPS que se tinha avariado na viagem... Entre um 'Olá! Correu bem o teu dia?' e um 'Esta porcaria passou-se!' Consegui dizer: - Hoje tive uma aventura! Ao que ele respondeu: Hum hum... Como se não me tivesse ouvido. E eu voltei a repetir: Hoje tive uma aventura extra-conjugal! E desta vez, ele ouviu e levantou os olhos da porcaria do GPS - Deves estar a brincar!?!

.

Eu disse que sim, desta vez, estava... Mas ele que continuasse a não prestar atenção ao que lhe digo!

.

É que nós, mulheres, podemos falar demais, podemos dizer muitas coisas da boca para fora, pode haver a necessidade de filtrar os assuntos a que nos referimos por grau de importãncia... Mas se há coisa a que damos realmente valor é a que nos escutem!

13 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Mais sobre mim

Quantas laranjas?

Que horas são?

Calendário

Fevereiro 2008

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
242526272829

Quantas agora?