Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Que parte de nós perdemos?

Tenho andado very busy com as aulinhas, as formações que tenho que fazer para ter boa avaliação (LOL;LOLOLOL) e com os vestidos de noiva, com as quintas de noiva, com os ramos de noiva...and so on, and so on!

Pois é... há muito que não me era possível, ou não tinha a disposição necessária para passar por aqui!


E quando não há disposição, não há remédio!


Porque eu só faço aquilo que quero, quando quero e bem me apetece (a não ser que se trate de trabalho efectivamente remunerado - aí tenho mesmo de dar o corpo ao manifesto, quer queira quer não. Porque é mesmo assim que tem que ser, uma vez que as contas não aparecem pagas ao final do mês!)




---------------


(vamos ao que interessa?!?)


----------------


(vamos lá!)


Imagem de: www.overmundo.com.br/banco/bruta-materia-bruta



Tenho tido contacto com pessoas que tiveram grande importância em certos momentos da minha vida. Quando era mais jovem, cheia de sonhos, de energia e de vontades!! Não que agora não os tenha (aos sonhos, energia e vontades), mas cresceram como eu e modificaram-se, acomodando-se na mulher que sou hoje!
...


Mas como estava a dizer, as conversas com esses amigos despertaram em mim lembranças boas e uma dose de saudade e nostalgia activa (não sei porquê associo sempre a palavra nostalgia a passividade, não acho mesmo que tenha de ser assim!)!
Dei por mim ouvir descrições de comportamentos meus que agora não são assim tão meus! Claro que cresci, que me modifiquei e que abracei a parte boa de ser adulta, sem perder "os milhares de crianças loucas que trago dentro"...
...
Mas... penso agora:
Quantos pedaços de nós temos mesmo de perder quando crescemos???
...
Quantos não sei bem, e também não fiz o balanço certo de quantos ganhei... Mas, será possível superar a pessoa que fui? Serão sempre estas trocas de pedaços efectuadas com consciência? Será possível continuar a afastar-me da sensação de liberdade e dança que tinha dentro de mim, de tal forma que ganhe raízes e razão? Tenho saudades de mim. Da miúda sedenta de vida que só tinha uma resposta ao mundo e essa resposta era sim. Que negava a razão em tudo o que pudesse ser emotivo!
...
E por outro lado...
...
Sabe bem a estabilidade. A certeza do dia seguinte. O planeamento do futuro próximo. A responsabilidade reconhecida. Sabe bem, mas será que preenche?
...
Whatever! Preciso da maternidade!




David Bowie - Space Oddity.mp3 - david bowie

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

Quantas laranjas?

Que horas são?

Calendário

Janeiro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Quantas agora?