Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Meia Laranja Inteira

Halfway there...

Da parte calma da manhã

17796216_1466657430043161_2185621365241220589_n.jp

(Trofa, 03/04/2017 - 07:45)

 

Acho que já disse isto aqui... mas é que há realmente algo de mágico nas primeiras horas do dia... Um despertar que nos clarifica o espírito e nos dá aquela sensação de que tudo será possível hoje, pelo menos hoje, não é?

 

O ar fresco da manhã. A luminosidade ainda pálida. O movimento calmo que antecede a euforia. Parecem conspirar para que se torne possível a realização do que queremos ser...

 

...

 

É com este pensamento que chego ao Porto, e a confusão do trânsito na VCI arrasta-me para uma realidade mais concreta. É tempo de me escudar e deixar a magia dentro.

 

Vamos lá! Boooora!!!!!!

 

 

 

Hoje fui...

17757312_1465922686783302_8443901967852050485_n.jp

 

 

Hoje foi dia de correr no parque sozinha na torrente de gente que os primeiros domingos solarengos trazem à rua...

 

Foi dia de me livrar das ansiedades típicas de final de período letivo, de correr muito com elas, até as deixar para trás e ofegante, não sentir perda nenhuma.

 

 

 

(Guimarães, 02/04/2017 - 18:15)

 

Foi dia de respirar profundamente e de me convencer que o horário da manhã daquelas aulas de yoga cabe perfeitamente no meu, em alguns dias. De me comprometer com a inscrição que farei na próxima semana. 

  

E no meio da corrida, ou, para ser mais verdadeira, no meio da passada acelerada, porque estava demasiado cansada para correr o caminho todo... Demasiado enebriada pelo sol, pela música que levava nos ouvidos, e pela sensação de liberdade, lembrei-me que sou mulher para além de mãe e filha e professora e amiga e ... todos os papéis possíveis que possa desempenhar ainda... 

 

Lembrei-me que às vezes me esqueço disso e que sou mais mãe, ou mais filha, ou mais professora, antes de ser mulher. Porquê? Acho que os acontecimentos do meu passado recente me levaram, de certa forma, a desligar-me da minha esssência e forçaram-me a existir apenas no prolongamento das relações que tenho com os outros... E hoje admiti-o perante mim. O que é um grande feito! porque dei o primeiro passo, não para voltar à mulher que fui, mas para deixar crescer a mulher que sou e que ainda quero ser. Por mim. porque por muito amor que tenha pelos outros, as nossas relações só serão mais fortes, mais ricas e efémeras se eu existir fora delas também.

 

Por isso hoje fui... fui correr... fui pensar... fui sentir... e fui ser mulher!

 

 

 

 

E se...?

  O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem.

(FP)

 

 

   E deve ser por isso que os insetos se sentem irremediavelmente atraídos para uma luz que os queima, incendeia e consome... E deve ser neste momento que a intensidade supera a duração das suas vidas.

 

  Sempre acreditei que seria mais pirilampo do que inseto atraído pela luz. Que seria mais a estrela com luz própria e menos o planeta que orbita em seu redor...mas...

what if? 

 

E se, por um momento eu quisesse prescindir da luz, e procurar outra mais forte? Ainda que queime, incendeie e me consuma?

 

E se?

 

A super-lua

 

Parece que ontem foi dia (ou noite) de andarmos com a cabeça ( e olhos) na LUA!

Esteve bem próxima, pelo que a expressão "gosto de ti até à lua" ficou diminuída. Astronomices... Que são as picuinhices da astronomia... é o que é...

 

 

 

 

Mas de facto, a lua esteve bonita! E tenho pena que não consiga partilhar aqui nenhuma foto minha, mas  (e é triste admitir isto) não ficou nenhuma em condições e não tive tempo para voltar a tentar...

 

Que hoje ainda seja dia, e noite, para pararmos uns minutos e admirarmos as coisas simples como o luar.

 

 

 

Hoje foi bom.

    E... é isto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na minha vida tenho muitas coisas pelas quais me sinto profundamente agradecida. Mesmo as piores e mais dolorosas provas porque passei, hoje, à distância do que já foi, trazem consigo um sentimento de agradecimento... quase uma purificação da alma... Porque me fizeram crescer (para lá do meu metro e cinquenta e três),  mas sobretudo porque me dignificam na fidelidade que tenho aos meus princípios e valores!

 

Mas a minha maior riqueza são as pessoas com que me rodeio. E hoje foi dia de encontros com pesssoas queridas. 

 

Almocei com dois seres fantásticos que fazem parte do que sou. E na nossa conversa descontraída, uma grande amiga, disse-me em tom de brincadeira, que se fosse homem, era comigo que casava! Que não queria mais ninguém. Rimo-nos e brincamos à volta desse cenário. Foi um grande elogio, sobretudo se pensarmos que saímos ambas de relacionamentos que não deram certo... Ela já há muito tempo, e eu, mais recentemente. Mas não. Hoje adoto o celibato como meu parceiro. Troco os arrepios do toque, pela paz de espirito (é o que eu digo, em tom de brincadeira, mas que não deixa de ter um fundo de verdade).

 

Mas sim, hoje sinto que eu não sou só eu. Eu também sou os meus amigos e a minha família. Pois trago-os dentro de mim, porque as nossas vivências  e conversas acabam por influenciar os meus pensamentos e ações.

 

E, nas amizades recentes, com que me vou cruzando, também surgem pessoas que me vão marcando. Mesmo aquelas cujas semelhanças igualam as diferenças que encontramos entre nós. Mesmo aquelas cujas discussões que vamos tendo se vão cansando de existir e acabamos por dar espaço a uma espécie de concordância num desacordo, sobre o tópico em questão. E hoje também foi dia disto. E foi bom ver que, apesar dos desacordos, estamos lá para quando for preciso. Mesmo sabendo que tudo poderia ter sido diferente do que já foi, se fossemos outros, noutro tempo. 

 

 

RIP Leonard...

 

Porque hoje, o mundo ficou mais pobre...

Mas a música, que ouvia em loop, nos meus tempos de adolescente... essa, fará sempre parte de mim.

Bravo, Leo!

 

I'm Your Man 

 

If you want a lover
I'll do anything you ask me to
And if you want another kind of love
I'll wear a mask for you
If you want a partner, take my hand, or
If you want to strike me down in anger
Here I stand
I'm your man
If you want a boxer
I will step into the ring for you
And if you want a doctor
I'll examine every inch of you
If you want a driver, climb inside
Or if you want to take me for a ride
You know you can
I'm your man
Ah, the moon's too bright
The chain's too tight
The beast won't go to sleep
I've been running through these promises to you
That I made and I could not keep
Ah, but a man never got a woman back
Not by begging on his knees
Or I'd crawl to you baby and I'd fall at your feet
And I'd howl at your beauty like a dog in heat
And I'd claw at your heart, and I'd tear at your sheet
I'd say please (please)
I'm your man
 
And if you've got to sleep a moment on the road
I will steer for you
And if you want to work the street alone
I'll disappear for you
If you want a father for your child
Or only want to walk with me a while across the sand
I'm your man
 

 

Uma paixão antiga

 

De volta às salas de aula!

E sinto-me como se nunca tivesse deixado de pertencer aqui... No último par de anos, a minha vida obrigou-me a reformular estratégias de vida e a tomar decisões difíceis. Uma delas foi a de abdicar do meu amor pelo ensino, em detrimento de um salário justo, condições mínimas de estabilidade, entre outras questões ligadas à vida real de uma mãe que tem que providenciar sustento às crias e contas para pagar ao fim do mês...

Nos últimos dois anos, desenvolvi, com sucesso, outra atividade profissional... que me enriqueceu enquanto pessoa, com a qual me comprometi a 100%, mas que de facto, não me instigou a mesma paixão que encontro no ensinar, no aprender, no fazer descobrir... mas sobretudo no grande desafio que é trabalhar com as nossas crianças e jovens (mesmo os mais difíceis!).

Esta mudança tem-me roubado muito tempo, as minhas crianças (ou melhor, as otites e laringites das minhas crianças) não me têm dado muitas tréguas...

E é isto: No meio das planificações, das avaliações intercalares, da preparação de aulas, dos ben-u-rons, dos lenços ranhosos, do horário rígido dos antibióticos...tinha que encontrar um bocadinho de tempo para vir cá dizer:

 

 - Estou bem! Agradecida, feliz e cansada. Mas estou maravilhosamente bem!

(As crias também vão ficar. Sei que sim.)

Mais sobre mim

foto do autor

Quantas laranjas?

Que horas são?

Calendário

Abril 2017

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30

Quantas agora?